Bem vindo ao Exotic Finches - Fórum especializado em exóticos, com novos tópicos de interesse e informação visual extraordinária!

Partilhe, aprenda, divulgue, conheça, o contributo de todos tornará ainda mais forte e sólida a ornitologia NACIONAL!

Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

 :: Aves :: Bicos de lacre

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

Mensagem por Fernando Domingues em Qua Set 02, 2009 10:52 pm




Existem três espécies: A. temporalis temporalis, A. t. minor e a A. t. loftyi.
A raça denominada A. t. temporalis é encontrada em grande parte do território Australiano, pesando aproximadamente 10g. No estado selvagem, a ave é predominantemente de cor cinzenta. A coroa e nuca são cinza escuro e os lados da cabeça, peito, flancos e do uropígio são de um cinza mais pálido. A sua marca identificativa é a marca ocular, muito semelhante à dos bicos de lacre.
Uma fina banda dourada é encontrada entre as costas e a nuca superior. As asas são verdes com uma coloração verde-oliva. As bochechas, sob o olhar são esbranquiçadas. O bico é vermelho nas laterais com uma tarja preta em todo o comprimento e no centro das mandíbulas superior e inferior. O centro do abdómen é de um creme pálido, os pés de um vermelho rosado e da íris castanho avermelhada.
As fêmeas têm geralmente uma coloração mais esbatida. A marca vermelha ocular nos machos também é normalmente mais extensa, enquanto que na fêmea denota-se um tom mais acastanhado.
A A. t. minor é uma raça distinta encontrada na região do Cabo York. Esta espécie é menor e geralmente mais colorida que a anterior.
A asa negra e alta converte-se quase num tom dourado. A banda dourada entre a nuca e parte superior das costas não é facilmente visível. Esta é a menor e a mais colorida subespécie e é raramente vista em cativeiro.
A A. T. loftyi foi encontrada na Lofty Ranges, perto de Adelaide, até á ilha Canguru. Esta subespécie tem uma cabeça e barriga mais acastanhada. Esta espécie é maior que a dominante (Aegintha Temporalis). O diamante de Sidney encontra-se em áreas húmidas da Austrália, geralmente entre a folhagem da vegetação, onde procura constantemente o seu alimento.

Hábitos - Os diamantes de Sidney geralmente são encontrados em pequenos bandos e á medida que se aproxima a época de reprodução, reúnem-se em grupos cada vez mais pequenos, em arbustos, de forma a protegerem-se de predadores. Em relação á esperança de vida da espécie, foram encontrados exemplares em estado selvagens (que tinham sido anilhados) com cerca de 7 anos. Podem observar-se em colónia com outras aves.


Ninho - Em estado selvagem, dependendo das condições, o diamante de Sidney pode reproduzir-se durante todo o ano.
Esta espécie foi encontrada a nidificar em colónias, embora na maior parte das vezes façam o ninho longe das outras espécies, onde é construído numa árvore ou em arbustos. Em colónia, foram encontrados três ninhos a tocarem-se no mesmo arbusto - uma descoberta única, uma vez que a maioria dos casais costuma manter uma certa distância entre si. As aves costumam construir um volumoso, ninho de forma abobadada, geralmente perto do centro da planta. Tem preferência por folhagem espinhosa. As fêmeas põem cerca de 4-5 ovos, embora tenha sido relatado casos de 8 ovos. Ambos os sexos incubam, aliviando-se periodicamente durante todo o dia juntos, empoleirando-se o macho no ninho durante a noite. A incubação geralmente dura cerca de 13 dias, mas isso pode variar dependendo do clima e do comportamento do par em questão. Nos primeiros dias após a eclosão, os jovens são alimentados por ambos os pais, principalmente com insectos. Logo depois, os pais começam a alimentar gradualmente os filhotes com sementes descascadas.
Os juvenis emplumam geralmente com cerca de duas semanas de idade e demoram mais duas a abandonar o ninho. Ambos os pais e jovens retornam ao ninho à noite.


Em cativeiro - Apesar de ser uma espécie perfeitamente adaptada ao cativeiro, só os criadores de exóticos mais dedicados conseguem obter resultados positivos.
Tenha em mente que um grande aviário com vegetação natural é o mais adequado para manter as aeginthas temporalis em quantidade. O viveiro deve ainda de dispor de boas áreas abrigadas, onde as aves podem evitar as condições de humidade e correntes de ar.

Viveiros com vegetação natural são quase essenciais para ter estas aves em reprodução. Se possível, devemos reproduzir a uma pequena escala, as condições que a ave deveria encontrar em estado selvagem.

Preferem arbustos espinhosos e espessos como local preferencial para a nidificação, já que demonstram uma preferência por plantas vivas, ninhos artificiais são geralmente evitados, só aceitam estes quando não dispõem de outros. Em cativeiro a nidificação ocorre geralmente nos meses mais quentes.

Deve ser administrado uma mistura de alta qualidade para exóticos com uma boa percentagem de milho francês e japonês; alpista; painço vermelho e amarelo e Níger. Sementes germinadas devem estar também sempre á disposição.

Devem ter sempre á disposição grite ou ossos de chocos e carvão vegetal.


Espero ter ajudado com este tópico!


_________________
Cumprimentos
Fernando Domingues
Criador de aves do género Estrilda
6 Medalhas em Campeonatos do Mundo

www.estrildidae.wordpress.com
avatar
Fernando Domingues

Mensagens : 787
Data de inscrição : 31/08/2009
Idade : 33
Localização : Pardilhó-Estarreja

http://www.estrildidae.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

Mensagem por marcos em Sex Fev 04, 2011 12:36 pm


São mesmo lindos, mas com já outras pessoas referiram o seu preço elevado não permitiu a entrada de um casal noi meu plantel(de momento Very Happy ) quem sabe se num furturo..................
uma pergunta, pode se obter hibridos dos sidney e dos bicos de lacre ao mesmo tempo?
obrigado pela informação.....
eu tambem gosto muitissmo dos passaros genero estrildae!
MARKOS
avatar
marcos

Mensagens : 409
Data de inscrição : 23/11/2010
Idade : 22
Localização : Vila Nova de Gaia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

Mensagem por Fernando Domingues em Sex Fev 04, 2011 6:12 pm

Pode-se sim e até penso que não é muito difícil... quer dizer, tudo depende dos reprodutores.
Mas para quê tirar híbridos se as duas aves só por si são lindíssimas?
Eu não sou nenhum exemplo porque tenho híbridos de bicos de lacre com face laranja, mas isso foi um "acidente" e porque estavam em colónia.

Abraço

_________________
Cumprimentos
Fernando Domingues
Criador de aves do género Estrilda
6 Medalhas em Campeonatos do Mundo

www.estrildidae.wordpress.com
avatar
Fernando Domingues

Mensagens : 787
Data de inscrição : 31/08/2009
Idade : 33
Localização : Pardilhó-Estarreja

http://www.estrildidae.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

Mensagem por MarioSantos em Sex Fev 04, 2011 9:47 pm

Boas

A semelhança dos bicos de lacre gosto muito desta ave , é lindissima , gostaria de num futuro proximo adquirir também Very Happy

MarioSantos

Mensagens : 83
Data de inscrição : 12/06/2010
Idade : 38
Localização : Penafiel

http://avesmariosantos.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

Mensagem por marcos em Seg Fev 07, 2011 1:37 pm


ja consegiste hibridos de bicos de lacre e faces laranja.........?????'
não podias postar umas fotos por favor? Very Happy
nunca vi um hibrido desses.
Concordo contigo sobre a mutação dos bicos de lacre e sidney era só mmesmo por curiosidade
obrigado pela patilha..........
Markos Smile
avatar
marcos

Mensagens : 409
Data de inscrição : 23/11/2010
Idade : 22
Localização : Vila Nova de Gaia

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Diamantes de Sidney (aegintha temporalis)

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 :: Aves :: Bicos de lacre

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum